Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Coloração’ Category

Olá, queridas!

Vou contar pra vocês como foi minha transformação de ruiva pra morena. Infelizmente eu não tenho fotos, mas vou tentar ilustrar da melhor forma possível.

Eu usava a tintura Koleston Vermelhos Especiais cor Vermelho Super Intenso 7744. E ficava assim:

Eu à esquerda, minha irmã à direita - meu cabelo era castanho como o dela

Eu à esquerda, minha irmã à direita - meu cabelo era castanho como o dela

Adendo sobre a foto: apesar da minha cara de pastel, o casamento tava bom! 😀

Enfim, enjoei do vermelho. Queria uma cor que qualquer make combinasse e optei pelo castanho. Só que se eu pintasse de castanho por cima não ia nem fazer cócegas no vermelho, tinha que ir cobrindo aos poucos.

Com dois dedos de raiz crescida (sim, eu demorei pra decidir) fui à perfumaria e a jumenta atendente me recomendou a cor Louro Acinzentado 7.1 da Imédia Excellence da L’Oreal, que o cinza quebraria o vermelho e o loiro escurece e eu juro que não sei onde estava com a cabeça quando concordei.

Cheguei em casa, passei, lavei e OMG, a raiz fcou mega loira! Porra, que péssimo! Parecia que meu cabelo estava flutuando, porque o vermelho estava lá, um pouco mais escuro, mas a raiz, jesus amado. Teoricamente não era pra clarear, mas clareou. E muito.

Corri em outra perfumaria e comprei a Koleston Castanho Médio 4.0 e passei 2 dias depois da tintura loura. Ficou ótimo! Escureceu pra caramba, deu super cobertura, não manchou e cobriu boa parte do vermelho. É, boa  parte,  porque uma vez ruiva, sempre ruiva. O fundo vermelho continua lá, é só sair no sol.

Mês seguinte passei a mesma tintura, e OMG de novo, a raiz ficou castanha e o cabelo mais escuro. Passei o Castanho escuro 3.0, também da Koleston. E aconteceu a mesma coisa.

Mês seguinte me revoltei e passei o Preto 2.0 da Koleston, num pensamento espartano “se assim não ficar preto nada vai fazer ficar”! E ficou tudo pretinho, pretinho. Só que não sei por que catso a tintura preta desbotou completamente! Conforme eu ia lavando a tinta ia saindo, e até é normal desbotar um pouco, mas era demais, desbotava mais que o vermelho! Uma semana depois da tintura fiz escova progressiva, e no salão ela acabou de sair. Eu não sei exatamente o que houve, mas ficou castanho na raiz e preto no comprimento. Lindjo!

A última tintura foi a da Avon, que você pode ver aqui. Não cobriu 100% da raiz castanha, mas escureceu um bocado e uniformizou a cor no comprimento. Uma amiga (oi Fuu!) disse que com ela ocorre o mesmo, vai ver é mal de tinta preta. Acontece isso com vocês?

Balanço: demorou de 4 a 5 meses pra mudar de cor de vez, e ainda está meio instável. Eu adoro meu cabelo, mas não tenho apego, se der merda eu corto curto e já era 🙂 Se quiser mudar a cor das madeixas vai fundo, mas eu sugiro decapar o vermelho antes (existem produtos ótimos pra isso, como o Dekap Color da Yamá). E analise bem a cor original do seu cabelo (ou pelo menos tente lembrar que cor é hehehehe) pra otimizar a coloração. Se for muito escuro ou tiver grande quantidade de cabelos brancos é melhor correr pra um salão, essas cores se comportam diferente e o resultado pode não ser satisfatório.

Espero ter sido útil!

Sandrinha =**

Read Full Post »

Bom dia queridas!!!

Eu pensei em fazer uma sequência de posts sobre a Beauty Fair, mas não aguentei!

Há um tempo atrás eu deixei de ser ruiva para ser morena. Não vou contar minha epopéia nesse post, vou falar só da tintura da Avon. Minhas raízes estavam castanhas após uma frustrante coloração de preto 2.0 da Koleston, que desbotou tudo em uma semana. Eu pinto o cabelo há uns 13 anos, acho pouco provável ter errado na aplicação. Mas ok, entrei em contato por email, não obtive a resposta desejada e mimimi.

Comprei a cor 2.0 da Avon, paguei cerca de 12,00 (precinho super camarada) e apliquei ontem à noite. Quem tinge o cabelo de preto sabe que se a cor pegasse tanto nas raízes quanto pega na testa e orelha a tinta seria perfeita – por isso passei gel de cabelo na testa, orelhas e pescoço. Meu, é ótimo! Eu uso um bem vagabundo, só pra me besuntar mesmo. Funciona que é uma beleza! Se manchar é só limpar com o gel e dar uma esfregadinha que sai tudo.

O kit vem com um tratamento pré coloração, uma emulsão reveladora, uma bisnaga de cor, uma máscara pós coloração, um folheto explicativo (que explica muito bem) e um par de luvas profissionais de látex. Ah, as luvas de látex… Gente, que beleza. Esqueçam aquelas luvas malditas de plástico, que rasgam, grudam no dedo e não protegem porra nenhuma nada. Essa é ótima, me conquistou!

Fiz todo o procedimento, misturei a bisnaga com a emulsão, chacoalhei e passei. A mistura ficou super grossa, sabe aquelas propagandas que dizem “não escorre”? Então, essa é a única verdadeira, não escorre de verdade!!! E o cheiro é bom! Onde já se viu isso, tintura que não escorre e é cheirosa? Pode ser viagem minha, mas parece ter cheiro de mel. Eu sou muito ligada a cheiros, achei o máximo uma tintura cheirosinha. Me conquistou².

Na hora de tirar saiu super fácil, não manchou, não ficou resíduo no couro cabeludo e a máscara pós coloração é super boa. Tem um cheiro estranho, mas deixa o cabelo macio e sem aquele cheiro de “oi, acabei de pintar”.

Resumindo: TCHAU, KOLESTON! Muito obrigada por todos esses anos, mas putz, preço camarada + luvas de látex + não escorrer + não manchar + não ressecar o cabelo = amor à primeira vista. O único problema é que as cores são meio limitadas, principalmente pro vermelho. Mas quem for passar qualquer outra cor vai na fé!

Espero que tenham gostado (porque eu tô encantada, deu pra perceber? :D)

Sandrinha =**

p.s.: super cobre os brancos, viu? mas não conta pra ninguém que eu tenho cabelo branco. MUITOS.

Read Full Post »

Bom dia frazetes!

Depois do depoimento thrash do último post, vamos falar de coisas boas, porque esses desastres só são bons para que possamos encontrar a superação, néam?

Descobri que tenho bom humor mesmo com o cabelo laranja e que posso ter mais coisas em comum com o Garfield do que gostar de lasanha! Sabe o que mais eu descobri? A Soft Color.

Pra quem não sabe, eu trabalho na P&G e ao chegar aqui com o cabelo à la purê de abóbora, fui correndo falar com uma amiga que trabalha com colorações e ver o que ela me indicava. Linda e loira (natural!), ela não só me indicou o tonalizante Soft Color como deu um jeitinho de conseguir uma caixinha do tom 7745 Granada para mim.

Eu nunca tinha usado nada da Soft, mas como estava em desespero e com os minutos contados pra formatura, me joguei com fé na Nossa Senhora das Ruivas, com o espírito pronto caso meu cabelo caísse ou se desintegrasse ou ficasse mais laranja ainda.

[ aqui faremos uma pausa no relato jornalístico descritivo para compartilhar o apego que Murphy tem comigo ]

Depois dos 20 minutos de pausa, fui enxaguar. Abri o chuveiro e nem uma gotinha de água caiu. Hmmm, estranho. Abri a torneira da pia e nem sinal de água. Bati na porta do quarto da minha mãe e perguntei: “Cadê a água?”. Ela olhou pra minha cara melecada de vermelho e respondeu: “Tão lavando a caixa d’água do prédio, só vão liberar pra consumo amanhã… Mas você não já tinha tingido o cabelo ontem?”

Era mais de meia-noite e eu estava com a cabeça cheia de tinta sem nenhuma gota de aguá em casa. Pera aí: eu tenho água! Na geladeira! Aew! Consegui uns quatro litros de água e lá fui eu pro tanque lavar tirar a tinta. Acendi a luz, e ela não acendeu. Acendi de novo, e ela não acendeu de novo. Lá vou eu acordar mamis de novo. “Ô mãe, o que aconteceu com a luz da área?” ela me olhou com toda a complacência materna e resmungou meio dormindo “Queimou hoje à tarde, amanhã de manhã eu compro outra”

Ok, vamos lavar o cabelo laranja no balde com água gelada à meia-noite no escuro.

[ de volta ao relato jornalístico descritivo]

Enxaguei, passei um condicionador básico, sequei com a toalha e fui dormir. Hoje de manhã tive duas surpresas: meu cabelo estava vermelho de novo! E não tinha caído nem estava esbagaçado!

Ponto pra Soft Color. Fui olhar na caixinha e descobri que na formulação tem  Extrato de Amêndoas, filtro UV e pigmento pr5, que é um pigmento de alto desempenho.

Soft Color, idolatray.

:}

bruh*

Read Full Post »

Bom dia frazetes!

Hoje o post é de uma história cômica e trágica. Trágica porque cabelo é uma das coisas com que eu tenho mais cuidados, mas é mais cômica, porque se a gente não rir da vida, a gente fica cheia de rugas, né?

Fui feliz e saltitante até a Ikesaki, comprar tinta para cabelos porque no sábado vai ser a formatura da minha turma de São Carlos, no curso de Letras que eu tranquei para voltar para São Paulo. Resumindo: mega momento importante pra mim, certo?

Certo. Lá fui direto na prateleira da Magirouge da L’oreal, mas como eu não lembrava meu número, não tinha nenhum catálogo de cores nem uma consultora por perto, puxei assunto com a consultora da Alfaparf, que elogiou meu cabelo e me indicou um belo vermelho, o número 6000 .

Só pra constar, eu tinjo meu cabelo e o de toda a minha família desde que eu tenho doze anos, então prática e experiência não me faltam 😉

Quando misturei a tinta com a água oxigenada, da Alfaparf também, estranhei, porque a mistura ficou verde, mas pensei que fosse uma tecnologia diferente, sei lá. Daí eu fiquei os 40 minutos com ela no cabelo e, ao enxaguar, notei que não saiu nenhum pigmento vermelho na água, nem na toalha, nem no travesseiro, o que foi inédito pra mim… Dormi com o cabelo meio úmido porque já era bem tarde e eu num tava com paciência de secá-lo.

Daí que ao acordar ontem, coçar os olhos e olhar no espelho, qual foi a minha surpresa? Eu era o Garfield. Sim, minhas raízes estavam mais laranja do que picolé de mexerica.

oi, eu sou a bruh!

Pedi pro meu namorado fazer fotos profissionais e investigativas, mas o resultado não conseguiu imprimir todo o contrate cereja/cenoura do meu Garfield Hairstyle.

Na parte que que pareço careca, tem cabelo, e ele é laranja.

Liguei pro SAC da Alfaparf (0800 021 26 52) e fui informada que a bisnaga 6000 da linha Evolution não é uma coloração, mas um corretor que deve ser misturado à uma coloração para acentuar os reflexos vermelhos e nunca ser utilizado sozinho.

Ao informá-la que tinha comprado e aplicado segundo a indicação da consultora, ela me disse que entraria em contato com a Ikesaki para reforçar o treinamento sobre as diferenças entre corretores e colorações.

Mencionei então que meu cabelo está fragilizado pelo excesso de química, e ela me disse que a ÚNICA coisa que ela poderia fazer pra me ajudar era trocar o meu corretor por uma tintura Alfaparf na cor ideal para trazer os resultados que eu desejo, mas que essa troca só seria possível se eu tivesse a bisnaga vazia, e como quarta de manhã minha mãe sempre põe o lixo pra fora antes de sair, eu não tenho mais nem a embalagem…

Num último segundo para ter certeza de que eu tinha feito tudo o que estava ao meu alcance, eu perguntei: “Então não existe absolutamente nada que você possa fazer por mim?” e a resposta foi um limpo e minimalista “Não”.

Concluindo: fui atendida por uma consultora destreinada, passei um dia inteiro respondendo à pergunta “nossa, mas o que aconteceu com seu cabelo?”, tive que passar um tonalizante para uniformizar o tom, deixando-o frágil pelo excesso de química.

Alfaparf, decepcionay.

:}

bruh*

Read Full Post »